Pristina.org - Everything Design since 2005

Ana Balleroni da NBS em entrevista Tecnologia e InternetFelipe Tofani on 09/07/2009

Dando continuidade às entrevistas realizadas aqui, falamos com Ana Balleroni, atual VP Nacional de Mídia da NBS. Balleroni é uma experiente publicitária, tendo passado por agências como Y&R, JWT e Leo Burnett. Em 2002, venceu o Prêmio Caboré como melhor profissional de mídia.

Rodrigo Almeida: Na sua opinião, o que afasta um anunciante do meio internet? Quais as barreiras que afastam o mundo da propaganda das novas tecnologias, das novas plataformas de mídia?

Ana Balleroni: Os anunciantes não estão afastados da Internet. Pelo contrário, eles estão ansiosos para estarem em um meio que passou a ser uma mídia de massa, de cobertura e de resultados. O grande problema, é que diferente da mídia tradicional, os formatos comerciais tradicionais da Internet envelheceram com uma a mesma velocidade do meio. Os anunciantes estão se afastando da comunicação feita através de banners, botões, etc. Eles querem formatos que tenham interação, proximidade e relevância para os internautas.
Com relação as barreiras, temos que pensar que a propaganda foi “criada”em um mundo onde audiência e meio eram nitidamente separados. Hoje isso mudou. Audiência e meio dentro da Internet, são exatamente a mesma coisa. Dessa forma, a criatividade tem que ser exercida de uma forma completamente distinta. A criatividade, na forma tradicional, não sustenta essa realidade.
E isso é muito difícil. As explosões criativas ou de repercussão, são feitas pelo “meio”. O pensamento criativo nesse caso, está mais ligado a estratégia que a criatividade.

Rodrigo Almeida: Como você enxerga a profissão do publicitário em um futuro próximo, daqui a 5 anos, com todas essas mudanças?

Ana Balleroni: As mudanças na profissão “publicitário” estão acontecendo há anos. E elas não começaram por causa da “internet”. Estamos vivendo um período de questionamento da nossa contribuição efetiva. E aí a conversa seria longa demais, porque passaria por uma desvalorização que o próprio negócio da propaganda se impôs. Não acredito que seja o fórum.
Mas se você me pergunta sobre as mudanças do mercado publicitário dentro do “mundo web”, eu afirmo que tenho dúvidas. Se por um lado, sabemos que vivemos em um País onde a web ainda é utilizada predominantemente por comunidades como Orkut, ou utilização prioritariamente de comunicação como o Messenger e e-mails, não acredito que vamos ter uma grande mudança no share de investimentos por meio de comunicação.
Veja o que aconteceu em Cannes esse ano. O grande prêmio veio de um case onde a efetividade esteve ligada a divulgação daquilo que chamamos de mídia de massa.
O case do “melhor emprego do mundo”, é um case típico de pensamento estratégico. Ele deu certo porque repercutiu em meios de massa paralelos a internet.
É isso o que acredito daqui a 5 anos : um mix de meios inteligente, estratégico, onde cada um deles tem sua função e efetividade.

Rodrigo Almeida: Na sua opinião, o que você imagina como sendo o futuro da mídia tradicional frente ao avanço exponencial das tecnologias de comunicação que surgem a cada dia?

Ana Balleroni: Acho que já respondi anteriormente, mas vamos lá: os meios são complementares. Essa é a grande inteligência da mídia. Hoje, ninguém faz sucesso isoladamente.
Essa apologia de “fim de mundo” parece uma coisa muito trágica.
Quando trabalhamos os meios dentro da suas características, de forma estratégia, utilizando um mix que reforce cada um deles, a comunicação é muito mais efetiva.
Ninguém vai morrer.
Mas o raciocínio será mais abrangente.

Rodrigo Almeida: Sabemos que as empresas de comunicação e anunciantes mais “tradicionais” ainda oferecem resistência com relação às inovações que a internet e seus derivados trazem. Como você enxerga isso?

Ana Balleroni: Você acha isso mesmo? Eu acho o contrário. Empresas de comunicação e anunciantes – tradicionais ou não – estão buscando as melhores soluções. Se ainda não sabemos defender é um problema nosso. Por isso estamos correndo atrás de pessoas, que contaminem e disseminem as oportunidades, inovações e retorno que a internet e seus derivados trazem. Quem trabalha em comunicação, tem que saber “comunicar”. E se a Internet é uma mídia de massa, basta saber como utilizá-la de forma eficiente. E até eu que sou velhinha, estou disposta a isso.

via WEB-A-HOLIC: Entrevista #2: Ana Balleroni, NBS.

Tagged: , , , , , ,