Pristina.org - Everything Design since 2005

A Arte Etérea de Ryan Crotty ArteFelipe Tofani on 25/07/2019

Usando de muitas camadas de tinta para criar uma estética etérea
A principal ferramenta de Ryan Crotty é uma peça especial de plexiglass que ele usa como um rodo para raspar a tinta na superfície de uma tela. Quando esse rodo é pressionado contra a estrutura de suporte atrás da tela, a tinta é quase totalmente removida enquanto o centro da tela flexiona sob a pressão para aceitar graus maiores de tinta. Esse processo é repetido inúmeras vezes e com várias cores e camadas para criar um revestimento com espessura suficiente para produzir uma superfície semelhante a vidro com outras transições de cores.

Quando me deparei com as pinturas de Ryan Crotty, fiquei imaginando como que ele conseguia colocar uma fonte de luz por trás da tela. Depois, fiquei pensando se suas telas eram transparentes e ele usava dessa luz para criar gradientes. Mas eu percebi que estava errado e o artista tem uma forma única de pintar.

A principal ferramenta de Ryan Crotty é uma peça especial de plexiglass que ele usa como um rodo para raspar a tinta na superfície de uma tela. Quando esse rodo é pressionado contra a estrutura de suporte atrás da tela, a tinta é quase totalmente removida enquanto o centro da tela flexiona sob a pressão para aceitar graus maiores de tinta. Esse processo é repetido inúmeras vezes e com várias cores e camadas para criar um revestimento com espessura suficiente para produzir uma superfície semelhante a vidro com outras transições de cores.

Quando me deparei com as pinturas de Ryan Crotty, fiquei imaginando como que ele conseguia colocar uma fonte de luz por trás da tela. Depois, fiquei pensando se suas telas eram transparentes e ele usava dessa luz para criar gradientes. Mas eu percebi que estava errado e o artista tem uma forma única de pintar.

Quando me deparei com as pinturas de Ryan Crotty, fiquei imaginando como que ele conseguia colocar uma fonte de luz por trás da tela. Depois, fiquei pensando se suas telas eram transparentes e ele usava dessa luz para criar gradientes. Mas eu percebi que estava errado e o artista tem uma forma única de pintar.

Quando me deparei com as pinturas de Ryan Crotty, fiquei imaginando como que ele conseguia colocar uma fonte de luz por trás da tela. Depois, fiquei pensando se suas telas eram transparentes e ele usava dessa luz para criar gradientes. Mas eu percebi que estava errado e o artista tem uma forma única de pintar.

É assim que Ryan Crotty cria uma estética onde você parece que não está observando suas pinturas e, sim, olhando através delas. Como se sua arte fosse um raio-x de uma estrutura que está por trás da dela.

Um dos pontos mais interessantes que vi quando passei a explorar o portfólio de Ryan Crotty é como dá para entender um pouco mais do seu processo de trabalho quando você examina as laterais de suas telas. Lá, você pode ver camadas e mais camadas de tinta que mostram as cores que foram usadas: amarelo, azul e vermelho. E ele usa dessas combinações de cores e de transparências para criar uma ilusão. Uma enorme variação de cores que são feitas através do uso de cores primárias e de um controle de espessura e densidade de tinta.

Quando me deparei com as pinturas de Ryan Crotty, fiquei imaginando como que ele conseguia colocar uma fonte de luz por trás da tela. Depois, fiquei pensando se suas telas eram transparentes e ele usava dessa luz para criar gradientes. Mas eu percebi que estava errado e o artista tem uma forma única de pintar.

Quando me deparei com as pinturas de Ryan Crotty, fiquei imaginando como que ele conseguia colocar uma fonte de luz por trás da tela. Depois, fiquei pensando se suas telas eram transparentes e ele usava dessa luz para criar gradientes. Mas eu percebi que estava errado e o artista tem uma forma única de pintar.

A principal ferramenta de Ryan Crotty é uma peça especial de plexiglass que ele usa como um rodo para raspar a tinta na superfície de uma tela. Quando esse rodo é pressionado contra a estrutura de suporte atrás da tela, a tinta é quase totalmente removida enquanto o centro da tela flexiona sob a pressão para aceitar graus maiores de tinta. Esse processo é repetido inúmeras vezes e com várias cores e camadas para criar um revestimento com espessura suficiente para produzir uma superfície semelhante a vidro com outras transições de cores.

A principal ferramenta de Ryan Crotty é uma peça especial de plexiglass que ele usa como um rodo para raspar a tinta na superfície de uma tela. Quando esse rodo é pressionado contra a estrutura de suporte atrás da tela, a tinta é quase totalmente removida enquanto o centro da tela flexiona sob a pressão para aceitar graus maiores de tinta. Esse processo é repetido inúmeras vezes e com várias cores e camadas para criar um revestimento com espessura suficiente para produzir uma superfície semelhante a vidro com outras transições de cores.

A principal ferramenta de Ryan Crotty é uma peça especial de plexiglass que ele usa como um rodo para raspar a tinta na superfície de uma tela. Quando esse rodo é pressionado contra a estrutura de suporte atrás da tela, a tinta é quase totalmente removida enquanto o centro da tela flexiona sob a pressão para aceitar graus maiores de tinta. Esse processo é repetido inúmeras vezes e com várias cores e camadas para criar um revestimento com espessura suficiente para produzir uma superfície semelhante a vidro com outras transições de cores.

A principal ferramenta de Ryan Crotty é uma peça especial de plexiglass que ele usa como um rodo para raspar a tinta na superfície de uma tela. Quando esse rodo é pressionado contra a estrutura de suporte atrás da tela, a tinta é quase totalmente removida enquanto o centro da tela flexiona sob a pressão para aceitar graus maiores de tinta. Esse processo é repetido inúmeras vezes e com várias cores e camadas para criar um revestimento com espessura suficiente para produzir uma superfície semelhante a vidro com outras transições de cores.

A principal ferramenta de Ryan Crotty é uma peça especial de plexiglass que ele usa como um rodo para raspar a tinta na superfície de uma tela. Quando esse rodo é pressionado contra a estrutura de suporte atrás da tela, a tinta é quase totalmente removida enquanto o centro da tela flexiona sob a pressão para aceitar graus maiores de tinta. Esse processo é repetido inúmeras vezes e com várias cores e camadas para criar um revestimento com espessura suficiente para produzir uma superfície semelhante a vidro com outras transições de cores.

A principal ferramenta de Ryan Crotty é uma peça especial de plexiglass que ele usa como um rodo para raspar a tinta na superfície de uma tela. Quando esse rodo é pressionado contra a estrutura de suporte atrás da tela, a tinta é quase totalmente removida enquanto o centro da tela flexiona sob a pressão para aceitar graus maiores de tinta. Esse processo é repetido inúmeras vezes e com várias cores e camadas para criar um revestimento com espessura suficiente para produzir uma superfície semelhante a vidro com outras transições de cores.

Se você gostou das pinturas de Ryan Crotty e quer ver suas obras ao vivo, espero que você tenha tempo de voar até Nova Iorque até o final de Agosto. Suas pinturas estão sendo exibidas na High Noon Gallery e eu adoraria estar lá para ver isso tudo de perto.

A Arte Etérea de Ryan Crotty

Se você gostou do que viu aqui, você deveria seguir o blog no twitter ou seguir a revista digital do Pristina.org no Flipboard. Além disso, ainda temos nossa newsletter quase semanal.

Tagged: , , , , , , , , ,