Pristina.org - Everything Design since 2005

Margret: Crônicas de um caso extraconjugal – maio de 1969 até dezembro de 1970 ArteFelipe Tofani on 28/09/2020

Documentando todos os detalhes de um caso extraconjugal
Esse arquivo inteiro consiste em centenas de fotografias em preto e branco, e coloridas de uma mesma mulher, a Margret S., em vários locais e poses. Algumas vezes ela aparece sentada em uma máquina de escrever no que se presume ser seu escritório, outras vezes ela aparece viajando e em quartos de hotel. Os documentos incluem amostras de cabelo dela, unhas e pacotes de anticoncepcional vazios, bem como um guardanapo manchado de sangue; todos com datas escritas.

Margret: Crônicas de um caso extraconjugal é o nome de uma extraordinária coleção de materiais que foram encontrados em uma maleta abandonada em um apartamento alemão. Dentro dessa maleta, dezenas de objetos relacionados a um caso extraconjugal entre um empresário e sua secretária, no final dos anos sessenta e o início da década de setenta.

Essa coleção de objetos recebeu o nome de Margret e conta a secreta história de amor que aconteceu entre maio de 1969 até dezembro de 1970. De um lado, o empresário de Colônia Günter K. de 39 anos e sua secretária, Margret S. de 24 anos, ambos casados. O material coletado nessa maleta consiste em documentos, fotografias e objetos encontrados mais de trinta anos depois dentro de um apartamento alemão. Essa mala foi vendida em um leilão e foi assim que chegamos a todo conteúdo aqui.

Margret: Crônicas de um caso extraconjugal é o nome de uma extraordinária coleção de materiais que foram encontrados em uma maleta em abandonada em um apartamento alemão. Dentro dessa maleta, dezenas de objetos relacionados a um caso extraconjugal entre um empresário e sua secretária, no final dos anos sessenta e o início da década de setenta.

Margret: Crônicas de um caso extraconjugal é o nome de uma extraordinária coleção de materiais que foram encontrados em uma maleta em abandonada em um apartamento alemão. Dentro dessa maleta, dezenas de objetos relacionados a um caso extraconjugal entre um empresário e sua secretária, no final dos anos sessenta e o início da década de setenta.

Margret: Crônicas de um caso extraconjugal é o nome de uma extraordinária coleção de materiais que foram encontrados em uma maleta em abandonada em um apartamento alemão. Dentro dessa maleta, dezenas de objetos relacionados a um caso extraconjugal entre um empresário e sua secretária, no final dos anos sessenta e o início da década de setenta.

Esse arquivo inteiro consiste em centenas de fotografias em preto e branco, e coloridas de uma mesma mulher, a Margret S., em vários locais e poses. Algumas vezes ela aparece sentada em uma máquina de escrever no que se presume ser seu escritório, outras vezes ela aparece viajando e em quartos de hotel. Os documentos incluem amostras de cabelo dela, unhas e pacotes de anticoncepcional vazios, bem como um guardanapo manchado de sangue; todos com datas escritas.

Muitos dos documentos tem um visual quase oficial, escritos usando máquinas de escrever. Mas o conteúdo dos mesmo é sempre voltado para o ato sexual: sua frequência, duração e mais. Sempre descrito usando de uma linguagem obscena, quase grosseira. Com o passar do tempo, as descrições dos atos ficam mais explícitos e longos.

É incitante observar a densidade conceitual de tudo aqui, já que a obsessão na documentação de todos esses meses de relacionamento é que transforma Margret em algo excepcional. A coleção parece reverberar o trabalho de artistas como Sophie Calle onde o espectador vira uma espécie de ‘voyeur’ de um mundo novo. Na minha cabeça, é interessante observar como Günter anota tudo de forma quase oficial, como se o que ele estivesse passando não fosse o suficiente para que ele lembrasse. Ele precisava anotar e criar suas memórias baseado naquilo, como se fosse uma versão controlada de um voyeurismo estranho.

A última nota que temos em Margret menciona como que ela terminou com o relacionamento nas vésperas do Natal de 1970 e, logo depois, se separou do seu marido. Levando ao fim tudo que podemos observar aqui, décadas depois.

Esse arquivo inteiro consiste em centenas de fotografias em preto e branco, e coloridas de uma mesma mulher, a Margret S., em vários locais e poses. Algumas vezes ela aparece sentada em uma máquina de escrever no que se presume ser seu escritório, outras vezes ela aparece viajando e em quartos de hotel. Os documentos incluem amostras de cabelo dela, unhas e pacotes de anticoncepcional vazios, bem como um guardanapo manchado de sangue; todos com datas escritas.

Esse arquivo inteiro consiste em centenas de fotografias em preto e branco, e coloridas de uma mesma mulher, a Margret S., em vários locais e poses. Algumas vezes ela aparece sentada em uma máquina de escrever no que se presume ser seu escritório, outras vezes ela aparece viajando e em quartos de hotel. Os documentos incluem amostras de cabelo dela, unhas e pacotes de anticoncepcional vazios, bem como um guardanapo manchado de sangue; todos com datas escritas.

Esse arquivo inteiro consiste em centenas de fotografias em preto e branco, e coloridas de uma mesma mulher, a Margret S., em vários locais e poses. Algumas vezes ela aparece sentada em uma máquina de escrever no que se presume ser seu escritório, outras vezes ela aparece viajando e em quartos de hotel. Os documentos incluem amostras de cabelo dela, unhas e pacotes de anticoncepcional vazios, bem como um guardanapo manchado de sangue; todos com datas escritas.

Esse arquivo inteiro consiste em centenas de fotografias em preto e branco, e coloridas de uma mesma mulher, a Margret S., em vários locais e poses. Algumas vezes ela aparece sentada em uma máquina de escrever no que se presume ser seu escritório, outras vezes ela aparece viajando e em quartos de hotel. Os documentos incluem amostras de cabelo dela, unhas e pacotes de anticoncepcional vazios, bem como um guardanapo manchado de sangue; todos com datas escritas.

Esse arquivo inteiro consiste em centenas de fotografias em preto e branco, e coloridas de uma mesma mulher, a Margret S., em vários locais e poses. Algumas vezes ela aparece sentada em uma máquina de escrever no que se presume ser seu escritório, outras vezes ela aparece viajando e em quartos de hotel. Os documentos incluem amostras de cabelo dela, unhas e pacotes de anticoncepcional vazios, bem como um guardanapo manchado de sangue; todos com datas escritas.

Esse arquivo inteiro consiste em centenas de fotografias em preto e branco, e coloridas de uma mesma mulher, a Margret S., em vários locais e poses. Algumas vezes ela aparece sentada em uma máquina de escrever no que se presume ser seu escritório, outras vezes ela aparece viajando e em quartos de hotel. Os documentos incluem amostras de cabelo dela, unhas e pacotes de anticoncepcional vazios, bem como um guardanapo manchado de sangue; todos com datas escritas.

Esse arquivo inteiro consiste em centenas de fotografias em preto e branco, e coloridas de uma mesma mulher, a Margret S., em vários locais e poses. Algumas vezes ela aparece sentada em uma máquina de escrever no que se presume ser seu escritório, outras vezes ela aparece viajando e em quartos de hotel. Os documentos incluem amostras de cabelo dela, unhas e pacotes de anticoncepcional vazios, bem como um guardanapo manchado de sangue; todos com datas escritas.

Esse arquivo inteiro consiste em centenas de fotografias em preto e branco, e coloridas de uma mesma mulher, a Margret S., em vários locais e poses. Algumas vezes ela aparece sentada em uma máquina de escrever no que se presume ser seu escritório, outras vezes ela aparece viajando e em quartos de hotel. Os documentos incluem amostras de cabelo dela, unhas e pacotes de anticoncepcional vazios, bem como um guardanapo manchado de sangue; todos com datas escritas.

Margret: Crônicas de um caso extraconjugal é o nome de uma extraordinária coleção de materiais que foram encontrados em uma maleta em abandonada em um apartamento alemão. Dentro dessa maleta, dezenas de objetos relacionados a um caso extraconjugal entre um empresário e sua secretária, no final dos anos sessenta e o início da década de setenta.

Todo o material aqui apareceu originalmente no livro Margret. Chronik einer Affäre. Mai 1969 bis Dezember 1970 que foi publicado em 2012. Para saber mais sobre esse material, você pode clicar no link abaixo que mostra um pouco de uma exposição que aconteceu em 2015 onde tudo aqui foi apresentado em uma galeria em Nova Iorque.

Margret: Crônicas de um caso extraconjugal – maio de 1969 até dezembro de 1970

Se você gostou do que viu aqui, você deveria seguir o blog no twitter ou seguir a revista digital do Pristina.org no Flipboard. Além disso, ainda temos nossa newsletter quase semanal.

Tagged: , , , , , , , , ,